O Jazz do Dia!
Chet Baker
Travelin' Light (Mundy, Young & Mercer)
Álbum: Baker's Holiday (Plays Billie Holiday)
Gravadora: Limelight Records - 1965
Gênero: Jazz
Chet Baker era possuidor de um registro vocal menor, quase um fio, que caracterizava seu canto como plenamente sussurrado. Esse se tornou seu estilo de interpretar, afinal o que lhe deu notoriedade mesmo foi seu refinamento ao trompete, no entanto, quando lhe era indispensável cantar, o que as pessoas queriam ouvir na realidade era todo o seu sentimento, não importando como ou o que cantaria.

Em 1964, Chet Baker tinha regressado da Europa depois de ser expulso de quase todos os países em que se apresentara. Neste período conturbado estava vivendo um novo romance e lentamente ia abandonando seu terceiro casamento. Paralelamente ia afundando cada vez mais nas drogas e na bebida. Desempregado e com pouco dinheiro nos bolsos zanzou pelos cantos a procura de um lugar para tocar até que foi contratado pela Limelight Records para realização de um LP.

Nesse recomeço lança “Baker´s Holiday”, disco pouco conhecido de sua carreira e um dos seus trabalhos mais românticos que, não sendo considerado um conjunto de seus melhores registros por alguns críticos, certamente não está entre os piores (os críticos são quase sempre uns chatos!). Gravado no primeiro semestre de 1965, o álbum apresenta Chet Baker tocando fliscorne nas sessões (ou fluegelhorn, pois seu trompete havia sido roubado) acompanhado por um conjunto de nove músicos.

O disco é dedicado a Billie Holiday, a vocalista de Jazz que ele mais adorava. Tanto quanto se sabe o trompetista nunca havia feito (ou tornaria a fazer) um álbum de homenagem a outro artista de modo que essas gravações são únicas. Nas notas do encarte original disse:

“O estilo de cantar de Billie Holiday era tão diferente! Ela tinha uma maneira de combinar canto e fala que era muito íntima. Uma coisa que eu realmente gostei era que ela nunca levantou a voz. Pelo menos eu nunca a ouvi gritar. Seu jeito de cantar realmente refletia muita alma.Ela era ótima e sempre fazia as melhores músicas, músicas estas que realmente se prestavam ao seu estilo de cantar... Billie Holiday foi Billie Holiday, isso é tudo!”.

Em “Baker´s Holiday” Chet canta em quatro temas numa melancolia cool quase frenética! A abertura com “Travelin' Light” seguida por “Easy Living” tornam evidente seu estado romântico, frágil na ocasião, estado esse que nos arrebatada definitivamente na instrumental “That Ole Devil Called Love”. “You’re My Thrill”, “Crazy She Calls Me”, “When Your Lover Has Gone”, “Mean To Me” e “Don’t Explain” vêem a provar que o LP é sem dúvida um verdadeiro tesouro perdido.

Os arranjos de Jimmy Mundy para seleção de canções, que remetem as Big Bands dos anos 40, não poderiam ser melhores, pois traduzem efetivamente um belo tributo a Lady Day.
Texto: tradução livre e edição do encarte do CD.

Músicos:
Chet Baker - Flugelhorn
Verett Barksdale - Guitarra
Leon Cohen - Sax.
Seldon Powell - Sax.
Alan Ross - Sax.
Henry Freeman - Sax.
Wilford Holcombe - Sax.
Richard Anthony Davis - Baixo
Hank Jones - Piano
Connie Kay - Bateria
Jimmy Mundy – Arranjos

Jazz

New Orleans Wanderers
Perdido Street Blues / Gate Mouth

Robbie Williams
Swing When You're Winning

Stan Getz
Children Of The World

Duke Ellington And His Orchestra
V.I.P.'s Boogie / Jam With Sam

Colosseum
The Valentyne Suite

Ray Conniff
Popsy

Pierre Dørge
Copenhagen Boogie

Jack Haskell
This Time It's True Love / I'll Remember Her

Quantum Jump
Quantum Jump

Teo Macero
Virus (Original Soundtrack) = 復活の日

Waltel Branco
Violão Recital

The Peddlers
Handel With Care